A Religião do Lar

A Litáurica é a religião do lar, onde o responsável pela família assume para si a incumbência de dar a orientação inicial para os seus.

É a religião final. A que descobre e pratica todo aquele que ao final, forma uma unidade com o seu espírito e eu interior. A que adotam todos aqueles que, por fim, reconhecem através do descobrimento do seu espírito a sua filiação divina e se entregam a vontade do Pai.

Esta é a religião verdadeira, a da busca pessoal de Deus no íntimo de cada um. A religião da experiência individual, a mais árdua e difícil. E cada um, solitariamente, como um cavaleiro galopará para o amanhecer espiritual. Só aqueles que estiverem conscientes da sublime Paternidade de Deus poderão compreender-nos. O resto nos rejeitarão porque ainda se acham ligados ao medo e à submissão. Mas então se rejeitarão a si próprios.

Pois a religião não é só um sentimento passivo de dependência absoluta e de certeza na vida eterna, é muito mais. Na Litáurica é uma permanente descoberta de si mesmo e dos demais, uma caminhada febril para a felicidade, um repositório de sabedoria e um contínuo sobressalto, é continuação quando então já não precisaremos de templos nem de ministros de Deus, teremos templos de luzes de em nós mesmos. Nessa audaz corrida para o alvorecer espiritual, iremos buscando o melhor dos homens e os faremos continuadores. Seremos curiosidade e luz e jamais nos satisfaremos. A Litáurica dará sentido à nossa vida terrena e, mais adiante, às gloriosas experiências nas esferas do grande universos, nosso lar imediato. A religião da experiência pessoal nos dará segurança.

E está escrito: `Um só rebanho com um único pastor'; todos serão chamados à definitiva "aventura" da Litáurica. Quando Deus será admitido como a realidade dos valores, a substância dos significados, a vida e a verdade.

Enquanto seguirmos as religiões em busca da salvação pessoal, egoísta, como passagem para o além, enquanto seguirmos as ditas sociedades secretas em busca da perpetuação do nosso “Eu”, em busca do poder e da riqueza, tivemos que nascer e renascer muitas vezes para poder nos libertar, mas nisso o ser humano esqueceu o essencial, pois não foi criado para isso, e daí agora lhe veio a Reforma e o Juízo.

A quem ainda não conheceu a Litáurica não entende o universo. E, no seu cego empenho por sobreviver, luta por dobrar a natureza. Como subjugar o universo se ele faz parte de nós mesmos? Os homens que ainda dormitam nas crenças fixas não sabem que não se pode frear a natureza. Aquele que humilha e agride a natureza será esmagado pela criação.

Só existe uma religião capaz de salvar-nos, a que nos salva do nosso próprio "eu" e liberta as criaturas de seu isolamento no tempo e na eternidade. Essa religião Litáurica jaz no mais íntimo do espírito. Este é a religião de Jesus de Nazareth, a que ninguém compreendeu quando em sua estadia entre os homens, que anunciou assim:

Quando, porém, vier aquele que é o Espírito da Verdade, ele vos guiará em toda a verdade.

Comments